A ação de amortecimento é adaptada à manobra de condução e condições da estrada numa questão de milésimas de segundo através de válvulas de controlo de acionamento elétrico, com base nos parâmetros medidos por sensores. A HP4, por exemplo, oferece aos pilotos uma configuração de amortecimento ideal em todas as situações de condução, processando irregularidades de alta e baixa velocidade para uma maior ou menor perfeição, garantindo a máxima tração e segurança. O DDC reage automaticamente a manobras de condução como travagem, aceleração ou curva garantindo um contacto perfeito com a superfície da estrada.
O DDC faculta informações avançadas e funções como a apresentação do menu de configuração do DDC. Assim, os pilotos selecionam um dos três mapas de características para configurações básicas "Comfort", "Normal" e "Sport" através de um botão - inteiramente de acordo com as suas necessidades pessoais e os requisitos relevantes para a secção da estrada.
O menu de configuração permite que o amortecimento seja adaptado de forma ainda mais personalizada às necessidades do piloto. Para além disso, com o ajuste mecânico, a suspensão pode ser afinada para mais suavidade (-7) ou mais rigidez (+7). A base da mola (pré-carga da mola) é ajustada manualmente, como habitual, utilizando uma chave de 17 mm.
Nos modos "Rain" e "Sport", a configuração do DDC foca-se numa ação de amortecimento total e confortável, como é necessário nas estradas secundárias e com pisos em bom ou mau estado. Nos modos "Race" e "Slick", a configuração do DDC é orientada para as prestações e contribui para um estilo de condução muito desportivo, particularmente em circuito. A afinação do amortecedor é rígida e fornece ao piloto um feedback claro sobre a situação de condução.
Antes de começar a viagem ou ligar a ignição, é efetuada uma verificação do sistema e ativado o conjunto de informações da unidade de comando do motor, do sensor de velocidade angular e do sensor do curso da mola para o Controlo Dinâmico de Amortecimento (DDC). A unidade de comando do DDC processa uma grande variedade de informações relevantes para a condução dinâmica como o curso da mola traseira, a velocidade da moto e a posição do controlador de derivação. Além disso, o sensor de velocidade angular do DTC fornece informações sobre a inclinação da moto e outros parâmetros.
As duas bainhas da forquilha invertida DDC têm uma estrutura idêntica e diferem apenas em termos do que acontece no interior no tubo fixo e no tubo de imersão. O mecanismo de afinação da base da mola (pré-carga da mola), que é variável em 15 mm (RR 20 mm) encontra-se no bainha direita da forquilha. A válvula responsável pela acumulação dinâmica da força de amortecimento encontra-se, juntamente com as respetivas ligações elétricas, no cartucho do amortecedor na bainha esquerda da forquilha. A área de compensação na parte inferior da bainha esquerda é altamente pressurizada com gás e recebe o volume de óleo deslocado pela haste do êmbolo do amortecedor no cartucho fechado.
O amortecimento da forquilha telescópica é acionado em conjunto, sem separação para as fases de compressão e expansão. O novo amortecedor DDC está aparafusado ao quadro através de uma aplicação em liga conhecida como bloco deslizante. A moto é fornecida com uma aplicação de 0 mm. Utilizando as duas aplicações fechadas (1,5 e 3 mm) a traseira da moto pode ser levantada ou baixada, permitindo adaptar rapidamente a geometria da suspensão às condições de estrada e às necessidades do piloto. Se for utilizado outro bloco deslizante, é necessário proceder à calibração do sensor do curso da mola traseira de acordo com o menu de configuração. Na dianteira, a altura da ciclística é adaptada como habitual através dos pontos de aperto da mesa de direção.
+ Ler mais

Ainda mais tecnologia em pormenor

spinner