Feita para vencer.

Os motociclos da BMW estão no caminho para o sucesso desde o início.

Desde os "Six Days" dos anos 20, às quatro vitórias no rali Paris-Dakar: a história desportiva todo-o-terreno da marca azul e branca começa com a primeira moto BMW. E os pilotos estão sempre ansiosos por espetaculares vitórias e campeonatos BMW.  

Os primórdios do desporto motorizado todo-o-terreno.

Os primórdios do desporto motorizado todo-o-terreno.

Mesmo antes de ter sido oficialmente apresentada, a R 32 já tinha alinhado na partida de uma prova de todo-o-terreno: o diretor de design, Max Friz, participou no "passeio pelas montanhas da Baviera" em 1923 aos comandos da primeira moto BMW por ele desenvolvida. O primeiro sucesso internacional foi obtido pelo engenheiro da BMW, Rudolf Schleicher, em 1926, na famosa prova "Six Days" em Inglaterra – enquanto piloto particular conquistou a medalha de ouro numa R 37 de série.  

+ Ler mais

Êxitos internacionais sucessivos.

Êxitos internacionais sucessivos.

Momento de espírito de equipa: para a prova internacional de seis dias, a BMW criou uma equipa nacional alemã. Em 1933, no País de Gales, o recordista do mundo em motociclismo Ernst Henne, junto com Josef Stelzer e a dupla de sidecar Josef Mauermayer/Ludwig Kraus, conquistaram pela primeira vez o título para a Alemanha – em motos Boxer de 33 cv do tipo R 16. A equipa viria a repetir o seu estrondoso sucesso um ano mais tarde. E também em 1935, desta vez com os lendários modelos de compressão BMW, o título foi para a Alemanha e a BMW.  

+ Ler mais

Recomeço com grandes nomes.

Recomeço com grandes nomes.

Após o fim da II Guerra Mundial, foi preciso esperar até ao início da década de 50 para a BMW voltar a participar em provas desportivas todo-o-terreno. Foi nesta altura que surgiu o sucesso e os grandes nomes. Georg e Hans Meier, Walter Zeller ou a equipa Ludwig Kraus/Bernhard Huser e Max Klankermeier/Hermann Wolz conquistaram incontáveis medalhas em competições nacionais e internacionais. As suas motas são 250cc monocilíndricas, bem como potentes boxers de 500cc e 600cc.  

+ Ler mais

Fãs e novos talentos.

Fãs e novos talentos.

Em meados da década de 50, a BMW encerrou o seu departamento de competição. Isto levou a uma renovação de gerações dos pilotos. Jovens pilotos como Sebastian Nachtmann, Kurt Tweesmann ou o piloto de sidecar Karl Ibscher ganharam campeonatos sucessivos para a BMW na Alemanha, durante os anos 60. Entre 1970 e 1972, Herbert Schek conquistou o campeonato alemão três vezes consecutivas para a BMW. Estes seriam os últimos títulos da BMW nas provas todo-o-terreno durante algum tempo, dominando então os modelos com motores de dois tempos.  

+ Ler mais
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport

Outra equipa de competição da BMW.

Outra equipa de competição da BMW.

No seguimento da alteração dos regulamentos dos campeonatos alemães, as provas todo-o-terreno voltaram a mostrar-se interessantes para as motos de quatro tempos nos anos 70. Laszlo Peres, do departamento de testes da BMW, participou com uma moto leve de construção artesanal e conquistou logo o segundo lugar nos campeonatos alemães. Depois disso, a BMW enviou uma equipa de competição à corrida realizada em 1979. Richard Schalber sagrou-se campeão alemão e conquistou o terceiro lugar nos campeonatos europeus. Um ano mais tarde, Werner Schütz conquistou o título de campeão alemão e Rolf Witthöft ganhou os campeonatos europeus.  

+ Ler mais

Paris-Dakar

GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport

Sucessos no deserto.

Nos anos 80, a aventura atraiu os pilotos todo-o-terreno ao deserto. O "Paris-Dakar", o mais exigente rali do mundo, foi realizado pela primeira vez em 1979. Em 1981, o francês Hubert Auriol obteve a primeira vitória para a BMW, repetindo a proeza dois anos mais tarde. A ambição tinha sido despertada: em 1984 e 1985, a BMW enviou uma equipa de competição "armada" com modificações à prova do deserto para o "Paris-Dakar". O belga Gaston Rahier conduziu a sua GS ao lugar mais alto do pódio durante dois anos consecutivos, atravessando a areia, o pó, o calor e o frio. O espírito da GS torna-se visível.  

+ Ler mais

Firmemente nas mãos da BMW.

Impressionante dupla vitória: em 1984 e 1985, a BMW enviou uma equipa de competição com motos modificadas para o deserto ao "Paris-Dakar". O belga Gaston Rahier ganhou o rali em 1984 na máquina de fábrica GS 1000, Auriol conquistou o segundo lugar. Apenas um ano mais tarde, Rahier repetiu a sua vitória na Boxer de 75 cv. Mais uma vez foi o primeiro a cruzar a meta na tradicional etapa final de Lac Rose em Dakar. Os seus sucessos continuam a inspirar, ainda hoje, os engenheiros da BMW Motorrad: a Concept Lac Rose é uma interpretação das lendas do rali e uma homenagem à moto vencedora.  

+ Ler mais
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport

Uma herança francesa.

Um protótipo que une a personalização com a história do rali: a Concept Lac Rose.

Saber mais

A lista dos vencedores continua a crescer

Ralis no Egito e no México.

Ralis no Egito e no México.

A BMW alcançou igualmente vitórias no Rali dos Faraós no Egipto e Baja Califórnia no México. Eddy Hau fez manchetes em 1988 como piloto privado, tendo vencido a classe maratona para motos quase de série aos comandos da sua BMW no "Paris-Dakar". Em 1992, a engenheira da BMW Jutta Kleinschmidt vence também esta prova na categoria feminina.  

+ Ler mais

O regresso

São lançadas as monocilíndricas.

São lançadas as monocilíndricas.

Após uma pausa de dez anos, a BMW Motorrad celebrou o regresso às provas de rally com uma equipa de fábrica em 1998. Em 1998 a BMW Motorrad celebrou o regresso às provas de rali com uma equipa de competição. Desta vez, foram utilizados modelos monocilíndricos baseados na F 650, que se alinharam na linha de partida de "Dakar". O francês Richard Sainct conseguiu obter a quinta vitória da BMW Motorrad nesta prova em 1999. Um ano mais tarde seguiu-se o maior triunfo de sempre, a BMW Motorrad conquistou os quatro primeiros lugares. Mais uma vez, foi Richard Sainct quem conquistou a taça do campeão, seguido de Oscar Gallardo, e depois Jean Brucy – ambos com modelos monocilíndricos – e Jimmy Lewis terminou em terceiro lugar com a sua boxer BMW Motorrad R 900 RR.  

+ Ler mais
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport
GS Geländesport

No asfalto e fora do asfalto

HP2 Enduro na partida.

HP2 Enduro na partida.

Após a temporada de 2001, a BMW Motorrad terminou o seu envolvimento oficial nas provas de rali e concentrou-se, de forma mais intensa, nas competições de asfalto com a Boxercup. Mas a BMW Motorrad não se afastou por completo das competições todo-o-terreno e em 2005, deitou novamente mãos à obra com a HP2 enduro. Até 2008, inclusive, a boxer todo-o-terreno de série participou em várias provas todo-o-terreno, por exemplo, nas Séries Cross Country na Alemanha, Áustria e Itália.  

+ Ler mais

Mais histórias que poderão interessar-te.

Motociclos aptos.

spinner