Caça ao tesouro numa garagem.

Sebastian Gutsch e o fascínio por motos clássicas.

Sebastian Gutsch restaura motos BMW antigas há décadas. As suas motos são mais do que apenas bonitas. O advogado de Munique também conduz as suas criações nas corridas de motos vintage e foi um dos primeiros a conduzir a R 5 Hommage no Concorso d’Eleganza Villa d’Este, o concurso de elegância de automóveis clássicos. Afinal de contas, o motor original instalado na moto é da sua própria coleção. Apenas uma das muitas descobertas e histórias raras da sua garagem.

Paixão por motos nascida numa loja de bicicletas.

Sebastian Gutsch tem jeito para peças mecânicas velhas.

Paixão por motos nascida numa loja de bicicletas.

O museu no centro BMW Welt, em Munique, exibe modelos icónicos dos 100 anos de história da BMW Motorrad. Muitas destas motos foram restaurados por Sebastian Gutsch. Depois do trabalho, o advogado de 50 anos veste o fato-macaco e vai para a oficina. É um verdadeiro tesouro escondido de peças BMW e Gutsch é perito a restaurar motos BMW antigas. A sua paixão por motos antigas começou a primeira vez que ele visitou uma loja de bicicletas de um velhote. Gutsch tinha apenas 14 anos na altura. Na verdade, demasiado jovem para se interessar por peças mecânicas velhas. "Fico fascinado pela forma como todas as peças se encaixam. Há algo de mágico em pegar numa carcaça velha e voltar a dar-lhe vida", afirma Gutsch.

+ Ler mais

O primeiro miúdo com uma moto verdadeira.

Sebastian Gutsch no seu lugar favorito: a oficina.

O primeiro miúdo com uma moto verdadeira.

Todos os dias depois da escola, ele ia até à oficina do velhote e divertia-se a trabalhar nas suas motorizadas. Além de bicicletas, o velhote tinha uma grande coleção de motos antigas. "Ele era como um avô para mim. Ensinou-me muito, até mesmo a soldar". Mais tarde, Gutsch comprou lá a sua primeira moto. Na realidade, foi mais uma troca. Ele trocou duas motorizadas do seu "avô" por uma Rabeneick a dois tempos. Ele estava verdadeiramente orgulhoso por ser o primeiro miúdo da escola com uma moto verdadeira. O facto de a moto de 150 cc e seis cavalos ser mais lenta do que as motorizadas dos seus colegas não o incomodava. Ele já tinha apanhado o bichinho das motos.

+ Ler mais
«
Há algo de mágico em pegar numa carcaça velha e voltar a dar-lhe vida.
»

Sebastian Gutsch

Não deites fora. Repara.

Passado pouco tempo, Gutsch investiu as suas poupanças na sua primeira BMW. A R 25/3 de 1954 tinha o dobro da potência da sua Rabeneick. Mas continuava a não ser muito mais rápida, o que o irritava. Investiu todo o seu tempo livre na moto. Nunca lhe pareceu uma perda de tempo. "É muito mais gratificante seres tu a recuperar uma moto em vez de comprares uma nova. As motos antigas podem durar quase para sempre. Se uma moto só tiver 13 cv, as suas peças não estão sob grande pressão", afirma.
Gutsch aprendeu sobre todos as motos BMW alguma vez construídas quando viu um artigo em destaque na revista "Motorrad" durante a celebração do 50.º aniversário da BMW Motorrad. Ele gostava especialmente da R 5 de 1936 e da desportiva R 68 de 1952. Mas encontrá-las era praticamente impossível. Só tinham sido construídas 1.400 unidades da R 68. Gutsch finalmente encontrou uma R 51/3 de 1952 na Suíça. Restaurou-a e apresentou os resultados à BMW. O seu trabalho era impressionante e Gutsch recebeu imediatamente a oferta de um trabalho a tempo parcial no departamento vintage da BMW. Era um sonho tornado realidade para o jovem universitário.
+ Ler mais

Ter em atenção a moto.

O seu primeiro restauro para a BMW Motorrad foi uma R 5 de 1937, que ainda está em exposição no Museu BMW. "Era fantástica", afirma Gutsch, recordando a moto com carinho. "Tens de ter sempre em atenção a moto durante um restauro. Tens de saber exatamente como é suposto parecer e como encaixa cada peça. Quando estou a restaurar um motor, conheço cada parafuso. É uma sensação fantástica quando a imagem na tua mente se transforma num motor verdadeiro com um bom trabalhar e que funciona bem".
Sebastian Gutsch deu vida a muitas motos desde então. Às vezes é rápido. Às vezes são precisos anos até os resultados serem satisfatórios. A BMW Welt exibe muitas motos clássicas, como a infalível R 51, que também foi restaurada por Gutsch. Mas estas BMW clássicas não são de forma alguma peças de museu. Muitas motos da coleção continuam a ser conduzidos, até participam em corridas. Afinal de contas, foi para isso que foram criados no passado.
+ Ler mais
Sebastian Gutsch conduz as suas motos em corridas de motos vintage como Goodwood Revival ou Isle of Man.

Dez anos de trabalho numa moto.

A sua favorita era a R 51 RS, um moto de competição com apenas 17 unidades de produção. Pertenceu ao campeão húngaro Endre Kozma, que trabalhou na BMW/Puch em Budapeste e correu com a moto no final dos anos 30. A R 51 RS foi vendida a um comprador na Argentina depois do acidente fatal de Kozma ao testar uma moto de um cliente. A moto estava danificada e maltratada depois de anos de corridas. Por fim, um importador alemão trouxe a moto de volta à Alemanha. Gutsch viu o anúncio de venda no jornal e convenceu a BMW a comprar a moto.
Um cilindro estava partido e faltava metade do cárter do motor. Mas Gutsch tinha a certeza de que ia valer todo o esforço. "Demorei 10 anos a restaurar a moto", afirma. "Quando acabei, levei-a comigo para uma pista de corrida na Hungria. Um senhor mais velho viu a moto e não queria acreditar. Eu não percebi nada do que ele estava a dizer. Mas depois alguém traduziu e explicou que o homem tinha lavado e polido aquela moto quando era um jovem aprendiz. Isso foi em 1939, quando ele trabalhava na BMW/Puch em Budapeste. Foi tão bom vê-los reunidos", afirma Gutsch.
+ Ler mais
«
Tens de ter sempre em atenção a moto durante um restauro. Tens de saber exatamente como é suposto parecer e como encaixa cada peça.
»

Sebastian Gutsch

O lixo de uns...

Sebastian Gutsch numa caça ao tesouro.

O lixo de uns...

Procurar motos BMW antigas é como uma caça ao tesouro: nunca sabes o que está à espera de ser descoberto, tapado com cobertores velhos, há muito esquecido num canto empoeirado de uma garagem desarrumada. Sebastian Gutsch não tinha perdido a esperança de algum dia encontrar uma moto de competição de 1935. Uma época em que os pilotos da BMW ganharam todas as medalhas que havia para ganhar. Gutsch suspeita que essas motos foram vítimas do desejo por fama e glória e foram completamente destruídas nas corridas difíceis desses tempos.

+ Ler mais

... é o tesouro de outros.

Hommage e a original: duas gerações da R 5 lado a lado.

... é o tesouro de outros.

Gutsch encontrou finalmente uma R 5 e uma R 68. Ele tem a certeza de que a sua R 5 é a moto de corrida original que Endre Kozma levou à vitória nos campeonatos húngaros. Ele encontrou a R 68 através de um amigo que a viu na Grécia. Estava em muito mau estado. Mas estava à venda. Gutsch partiu imediatamente para a Grécia na sua velha carrinha Ford Transit. Quando finalmente pôs os olhos na moto, ele sabia que tinha descoberto ouro. Ele agora conduz a moto pela Europa, onde acampa com amigos. Então, o Sebastian Gutsch só tem motos antigas? Na verdade, a única moto moderna na sua coleção é uma R80 G/S. Mas até essa seria considerada por muitos como antiga.

+ Ler mais

Tralha para a R 5 Hommage.

As motos personalizadas BMW estão a surgir de todos os lados, tornando cada vez mais difícil encontrar motos completamente originais que não tenham sido modificadas. Sebastian Gutsch tem a certeza: qualquer pessoa com um motor boxer de 2 válvulas na sua garagem será muito procurado um dia. Ele também foi muito procurado quando a BMW Motorrad precisou de ajuda para conceber a novíssima R 5 Hommage. A moto de tributo, que foi revelada no Concorso d’Eleganza Villa d’Este em 2016, tinha de ser uma réplica aproximada do modelo original de 1936. Eram necessárias peças originais para o projeto.
Gutsch conduz em corridas de prestígio como Goodwood Revival ou corridas de motos vintage na Ilha de Man, logo não é nenhuma surpresa o facto de ter uma grande coleção de peças antigas. Portanto, não é nenhuma surpresa ele ter encontrado peças importantes para o motor da R 5 Hommage ao realizar uma caça ao tesouro na sua garagem. "Eu não queria mesmo canibalizar uma R 5 original para uma moto de exposição. Então, foi ainda mais emocionante quando tive a ideia de utilizar algumas peças antigas, resumidas a tralha, que estava a usar apenas como batentes na minha garagem. Também usei as peças de reprodução do meu amigo Josef Heft, que são feitas especificamente para motos de competição e o resultado foi uma moto verdadeiramente impressionante. Eu realmente tinha algumas coisas a que chamo "oferendas ao Deus da Velocidade" espalhadas pela minha oficina."
+ Ler mais
O entusiasmo aumenta: a viagem inaugural na R 5 Hommage.
Mais histórias que poderão interessar-te.
Motociclos aptos.
spinner